COMBATE AO ABANDONO ESCOLAR PRECOCE DEVE CONTINUAR

2012-06-08

Segundo dados mais recentes divulgados pelo Eurostat, no contexto do Inquérito às Forças de Trabalho 2012, sobre a situação e a evolução do mercado de trabalho da União Europeia,

os Estados Membros devem trabalhar mais para alcançarem os objetivos da estratégia Europa 2020 no setor da educação.

É fundamental reduzir as taxas de abandono escolar precoce (taxa de jovens entre os 18 e os 24 anos com habilitações secundárias, que não seguem quaisquer ações de educação nem formação) para menos de 10% e aumentar o número de jovens licenciados para 40%.

Apesar dos progressos verificados na redução do abandono escolar precoce e no aumento de licenciados na Europa, as disparidades permanecem acentuadas, pondo em risco o cumprimento dos objetivos definidos para 2020: a taxa de abandono escolar precoce desceu e situa-se agora em 13,5% (em 2010 era de 14,1% e de 17,6% em 2000). Em 2011, na União Europeia, 34,6% das pessoas na faixa etária dos 30-34 anos tinham um diploma, contra 33,5% em 2010 e 22,4% em 2000.

Em Portugal, a taxa de abandono escolar precoce tem vindo a descer de forma acentuada, com o apoio do FSE às políticas públicas de educação, formação e inclusão social: em 2000 a taxa era de 43,6%, em 2010 de 28,7%, encontrando-se agora nos 23,2%. No entanto, apesar dos evidentes esforços de redução, Portugal ultrapassa ainda muito o valor de referência, situado nos 10% até 2020.

No que respeita à taxa de conclusão do ensino superior, Portugal (26,1%) encontra-se abaixo da meta global de 40%, apesar dos progressos efetuados, se tivermos em conta que em 2000 apresentava uma taxa de 11,3%, e em 2010, 23,5%.

Para mais informações, consulte:

- Comissão Europeia/Abandono escolar precoce

- Comissão Europeia/modernização da agenda do ensino superior

 

8 de junho de 2012
Fonte: Portal da União Europeia


Formulário de contacto







escreva os numeros
por favor insira os números que vê na imagem *


enviar